Entenda como funciona a exportação direta e indireta

Exportar é o ato de enviar mercadorias para fora do território nacional, também denominado de território aduaneiro. É normalmente originado por um contrato de compra e venda internacional, que poderá resultar ou não em entrada de divisas no país de origem. É um processo burocrático que deve ser seguido à risca para não causar prejuízos de tempo e dinheiro.

 

Dentre os cuidados e procedimentos para as empresas que tomam a decisão de trabalhar com exportação, destacam-se a necessidade de identificar os potenciais clientes no mercado externo, definir preços e condições de negociação, prazos de entrega, quantidade, adequar os produtos dentro das normas internacionais e do país de destino, ter o negócio confirmado através do pedido de compra ou Purchase Order, por parte do importador/cliente, a empresa deverá ser credenciada como exportadora no DECEX/SECEX e na Secretaria da Receita Federal, além de registrar a exportação no SISCOMEX, contratar o frete internacional para transporte, o despachante aduaneiro para cumprir os transmites da operação, fechar o câmbio com uma instituição bancária, entre vários outros processos.

 

Veja a diferença entre as duas modalidades de exportação

 

Exportação Direta: Nessa forma, a própria empresa faz sua habilitação na Receita Federal e recebe autorização para operar no comércio exterior, dessa forma terá condições de cuidar dos procedimentos burocráticos e ela mesma será a embarcadora da carga. Isso exige um grau maior de conhecimento técnico e de vivência no comércio exterior, a empresa geralmente conta com um colaborador especialista em comércio exterior. Mesmo contando com esse profissional, muitas empresas optam ainda por terceirizar essa etapa burocrática com os serviços de despachante aduaneiro, que irá representar a empresa nos órgãos competentes.


Exportação Indireta: Nessa forma, a operação de exportação consiste em vender o produto a uma empresa habilitada a fazer a exportação, esse comprador será o responsável pela exportação propriamente dita. O remetente não precisa ter conhecimento dos processos de exportação, porque a responsabilidade por todo o procedimento fica por conta desse destinatário exportador, é mais usada por microempresas e empresas de pequeno porte, por envolver menos investimento e menos riscos, que ficam por conta da empresa comercial exportadora ou trading company.

 

Ficou com dúvidas? Deixe abaixo nos comentários, iremos te responder assim que possível.

 

 

 

Compartilhe
Please reload

Matérias em Destaque

Opção pelo Simples Nacional 2019

27/11/2018

1/10
Please reload

Últimas Matérias
Please reload

Inscreva-se em nosso canal
Histórico de Matérias